Não deixa a bicha saber

Não deixa a bicha saber
Photo by Girl with red hat / Unsplash

Poema é um negócio esquisito
Sei nem se eu sei escrever ou entender
Eles parecem todos iguais
Antes tinham rimas
Hoje em dia são todos iguais
Rimas nunca mais
Rimas para quê também
Eu tenho a impressão que quem escreve poema
só joga as palavras no documento
só vai escrevendo
Foda-se se alguém vai entender
Se entendeu é porque é de amor
De amor parece que todos entendem
Ainda mais se envolve dor
Mesmo quem nunca viveu um amor parece entender
Poema é um negócio esquisito
Sei nem se eu sei escrever
mas eu entendo que quem escreveu poema de amor
sentiu dor
E quem escreve sobre sexo se sente subversivo
E a mais subversiva do rolê é a gay nascida nos anos 90
se acha
quer ser blasé
mas dá é preguiça
sei nem por que ler
Esses dias vi a gay comentar no poema da vizinha
Que para escrever poemas não bastava dar enter no texto corrido
Ousada
A bicha
Bastou 7 palavras para o gaydar apitar
Entrou em erupção
Assim que eu li seus títulos
De britney spears e billie eilish
tenho até medo de publicar isso aqui e ela me achar
vir me falar que eu não sei escrever
E poema já é um negócio esquisito
Que eu nem sei se sei escrever ou entender
Abri uma de suas zines
Juro que não encontrei nada de mais no que a bicha dizia
Mas quem comenta como comentou no poema da vizinha
No mínimo sabe do que tá falando
Sabe gente arrogante?
Chata porque tem razão
mas tem razão
Adoro gente arrogante que tem a razão
Desde que
tenha a razão
Claro que eu quis conferir
Mas juro que não encontrei nada de mais no que a bicha dizia
Vai ver é porque poema é um negócio esquisito que eu não sei entender
O viado é brilhante e eu katia cega
Nem quis conferir mais
pra quê
mesmo que escreva mal
tem filmes, tem livros, tem arte
Ousada
Mesmo que não escreva bem é no mínimo interessante
Certamente
Quero é mergulhar mais nessa cultura pop nordestina pintosa
Nesse cheiro de glitter em carreirinhas
Escreveu com azamiga poemas para as gays tristes que escutam lana del rey
Claro que abri
Lindíssimo
Material phyno
Fui ler
Sei não se entendi
Vai ver é mais um negócio esquisito
Que eu nem sei escrever ou entender
Poemas
Não deixa a bicha saber
Mas eu também tenho poema inspirado em Lana Del Rey
Escrito há uns bons 7 anos
Pela gay mais triste da vila mariana
Que já morou na delfino casal de rey
Onde esboçou outros tantos escutando a própria
Mas não deixa a bicha saber
Vai que ela vem apontar que eu sou uma mona descabida de inteligaycia
Que eu não sirvo nem pra poesia
Muito menos pra dar pinta
Só o cu
e olhe lá
Eu vou é ficar horrorizada
Acabada
Sei nem se poderia voltar a escrever
Provavelmente escreveria
Sobre meu fracasso na poesia
Decretado pela bicha
ousada arrogante e blasé