iah ioh

iah ioh

Querido, querido
Ficando acordado até de manhã
“você não quer ser como eu”
acordando em um armário de cozinha
alguns caídos pelo chão
nenhum amigo a vista
apenas outros tantos perdidos
ninguém que queira viver a realidade prevista

todas aquelas coisas lindas que nos disseram
não significam merda nenhuma comparado às suas drogas
tente não se meter em confusão
mesmo que a guerra mental seja iminente
sonhos vem e sonhos vão
e todos os temores surgem antes que se pense

Ninguém tem ao certo a medida da maldade
Procura abrigo, estende os braços
todas as desculpas
“que mais eu poderia dizer?”
querer ser facilmente satisfeito
depois de anos ainda se mantém os laços
querer ser eternamente jovem
o céu não pode esperá-los
direcione seu rosto para o Sol
você aparenta estar tão cansado e infeliz
não é difícil desejar morrer
viver
querer ser eternamente jovem
sempre mais alguém para dividir esse padê

Mas você é um esquisito
não é este o seu lugar
esse não o jeito de vencer
“e o que você ganha ao mudar?”
suplica para aguentar
não há nada a mostrar
apenas o peso para aguentar
feche a pálpebra e tente descansar
herdeiro da doença dos sonhadores