iah ioh

Querido, querido Ficando acordado até de manhã “você não quer ser como eu” acordando em um armário de cozinha alguns caídos pelo chão nenhum amigo a vista apenas outros tantos perdidos ninguém que queira viver a realidade prevista todas aquelas coisas lindas que nos disseram não significam merda nenhuma comparado às suas drogas tente não se meter em confusão mesmo que a guerra mental seja iminente sonhos vem e sonhos vão e todos os temores surgem antes que se pense Ninguém tem ao certo a medida da maldade Procura abrigo, estende os braços todas as desculpas “que mais eu poderia dizer?”