Aline Campbell e o Projeto Portas Abertas

Aline Campbell e o Projeto Portas Abertas

Há anos eu falo para amigos e conhecidos sobre a minha vontade de viajar o mundo. Já devo ter saturado e impressionado muita gente, passando a certeza de que sou imbecil tagarela vagabundo hippie.  Cinco anos atrás eu enxergava esse sonho como item secundário na minha to do list, em primeiro lugar eu faria faculdade. Hoje eu choramingo de angústia justamente por causa da faculdade. Ao menos, durante estes últimos anos universitários, eu pude planejar melhor como eu pretendo fazer meu mochilão e qual proveito tirar dele, mais do que isso, eu encontrei muita inspiração. Conheci muita gente que já leva a vida alternativa que eu quero pra mim. Pessoas com coragem de ser feliz e fazer grandes feitos com pequenos atos humanos e solidários, conhecendo o universo acima de tudo. Entre elas, Aline Campbell, essa moça incrível que inspira a mim e a muita gente.

aline deitada na estrada

Aline é uma artista plástica que no ano passado viajou pegando carona pela Europa sem um centavo no bolso. Sim, sem dinheiro! Nada de cartão de débito, crédito ou qualquer moedinha. Foram 3 meses, 14 países e mais de 50 caronas, se hospedando na casa de amigos de couchsurfing (uma rede de pessoas que cedem seu “sofá” para viajantes) e de pessoas que ela nunca havia visto antes.

A ideia surgiu quando ela ofereceu seu “sofá” no Rio de Janeiro para um americano que não possuía nada além de uma pochete, o rapaz viajava sem bagagem alguma. Inspirada por ele, decidiu viajar a Europa sem um centavo. Como ela conseguia se hospedar e se alimentar? Bom, além do couchsurfing, ela conseguia comida e lugar para dormir através da solidariedade das pessoas que ela encontrava pelo caminho, pessoas tocadas pela sua mensagem. Que mensagem? “Ressaltar a bondade humana e gentileza natural de cada um, independente de quem seja, e aonde seja”. Aline colocou em prática seu projeto pessoal chamado Open Doors / Portas Abertas, projeto que demonstra o poder de conhecer pessoas e confiar no mundo, sempre levantando a bandeira em prol da PAZ, como diz a descrição da página no Facebook.

Aline Campbell em AalsmeerAline Campbell em Amsterdam Aline Campbell em Amsterdam Aline Campbell em AmsterdamAline Campbell em Antwerpen Aline Campbell em Gömnigk Aline Campbell em Gömnigk

Quando eu conheci a história da Aline, percebi que eu havia encontrado um exemplo singular de motivação. Aline, além de força, meu deu ainda mais certeza de que eu sei que concretizarei todos os meus planos, mesmo que pareça loucura para a maioria que me escuta. De quebra, me deu uma amostra através de sua experiência de que eu realmente posso confiar no mundo, fazer o bem e viver com menos. Ensinamento que ela leva adiante com o projeto Portas Abertas, que já mostrou para muitos que o que realmente importa em uma viagem são as pessoas e histórias que você encontra pelo caminho, por isso o dinheiro não é essencial para vivermos aventuras incríveis em outros lugares, outras cidades e outros países. Ela conseguiu provar.

“O mundo não é só maldade e perigo como a televisão, a mídia em geral, nos diz” – afirma Aline. Há muito mais bondade e solidariedade do que nós imaginamos. Tanto é que quando foi chamada para participar do programa “Encontro com Fátima”, da Rede Globo, ela disse sobre o quanto os meios de comunicação impõem o medo nas pessoas, ao vivo! Justamente em uma das emissoras que mais prega esse medo. (Pena que eu não achei vídeo online desse momento para mostrar) (Opa, a Aline me enviou o link do vídeo <3)

E por que que eu tô falando tanto dela? É porque falta 1 dia para acabar o crowdfunding para ajudar Aline a publicar seu diário de viagem, que conta em detalhes suas experiências e dissemina os ideais de seu projeto que é baseado em quatro pilares principais: (1) estar aberto ao mundo e tudo o que ele tem a oferecer, sem depender de coisas materiais; (2) acreditar no lado bom das pessoas; (3) fazer o bem, sem olhar a quem e sem esperar receber algo em troca; (4) trocar serviços por serviços como forma de sustentar a si mesmo e os outros.

Se você se interessou, pode dar seu apoio no Benfeitoria: http://benfeitoria.com/portasabertas

 

Aline Campbell em AalsmeerAline Campbell em AalsmeerAline Campbell em AntwerpenAline Campbell em AntwerpenAline Campbell em AalsmeerAline Campbell em Aalsmeer

Hoje em dia, Aline viaja de carona pelo Brasil com o Saga, um cachorro que é uma graça. É uma delícia acompanhar seu desenvolvimento tão fora de regra em ambientes naturais e cercado de amor a todo tempo!

Cachorro Saga

Aline Campbell e Cachorro Saga aline e saga MG

Se você quiser conhecer mais sobre a Aline Campbell, tem essa entrevista bacana no To Longe de Casaesse post do Nomades Digitais sobre a viagem com o Saga, o relato de Aline publicado no Viagens Criativas (e a parte 2 após avalanche de comentários), tem um canal no Youtube, e, claro, a página do Portas Abertas no Facebook.

Muitas outras pessoas saíram do lugar comum e quebraram a gaiola para se aventurar pelo mundo pegando caronas, como o Rogerio Chimionato do “Com a cara e a coragem“, a Pãmella Marangoni do “100 Dinheiro 100 Frescura E 1000 Destinos” (uma das caroneiras que mais incentiva a prática), o Robson Campos do “Relatos de um Mochileiro“, a Kivia do “Kiviagem” e o simpaticíssimo Edu Bah do “Diários de Carona“. Todos eles de alguma forma me inspiram, e além deles conheço muitos outros, tenho uma lista enorme de caroneiros e mochileiros que eu acompanho. Todos são pessoas maravilhosas, sempre dispostos a trocar uma palavrinha e compartilhar ideias. Ainda faço um post sobre cada um deles!

E você? Tá a fim de pegar a estrada?

🙂

  • Adorava ajudar a Aline neste projeto, mas não posso por falta de recursos. No entanto, tive o prazer de a entrevistar e partilhar a palavra dela ao mundo. Um dia vou comprar o livro.

    Ela é uma grande inspiração para mim também, quero viajar pelo mundo com o meu marido e o/a meu/minha filho/a (estou grávida e ainda não sei se é menino ou menina), assim de forma descontraída.

    Obrigada por partilhar histórias de outras pessoas que vivem sem medos, não me importaria nada de ver o resto da tua lista. 🙂